17
 / 
11
 / 
2021

Arquitetura sustentável: como o uso de rochas naturais pode ajudar nessa prática?

A arquitetura sustentável é, sem dúvidas, um assunto em alta. Embora ela tenha começado a se popularizar por agora, essa prática não é recente — na verdade, ela começou a ser difundida nos anos 90, durante a conferência ECO 92 no Rio de Janeiro.

Esse tipo de arquitetura busca minimizar os impactos ambientais vindos da construção civil e também difundir o desenvolvimento social e cultural.

Quando pensamos na arquitetura sustentável, é fundamental saber que os recursos naturais são muito importantes, visto que a intenção é ter um impacto positivo para o meio ambiente e também trazer vantagens para aqueles que a desfrutam.

Podemos definir esse tipo de arquitetura como aquela que, como o próprio nome diz, atende aos principais pilares da sustentabilidade:

  • viabilidade econômica;
  • valorização social e cultural;
  • minimização dos impactos ecológicos.

É importante ter em mente que uma arquitetura sustentável vai além do uso de reciclados e de meios alternativos de energia, por exemplo. Ela também está ligada ao descarte correto de materiais, investimentos financeiros conscientes e o uso racional de matérias-primas naturais.

Falando nesse tipo de material, as rochas naturais podem ser excelentes aliadas em projetos de arquitetura. A seguir, confira um pouco mais sobre a arquitetura sustentável e como as rochas naturais podem otimizar essa prática. Boa leitura!

Arquitetura sustentável ao longo do tempo

Atualmente, com a crescente preocupação sobre o meio ambiente, a sociedade visa buscar soluções ecologicamente eficientes para contornar problemas de consumo e degradação ambiental.

Porém, como já comentamos, o conceito da arquitetura sustentável em si, surgiu por volta dos anos 90, quando a sociedade passou a se preocupar com os processos industriais, os quais consumiam uma boa parte dos recursos naturais e geravam poluentes prejudiciais à população.

Nesse início, a arquitetura tinha como objetivo principal reduzir drasticamente a alteração do ambiente natural com as construções, isso passou a ser feito por meio da utilização dos recursos naturais e aproveitando os materiais ecológicos disponíveis.

Felizmente, a prática da arquitetura sustentável tem se tornado cada vez mais adotada, até porque, embora o objetivo principal da prática seja a preservação do meio ambiente, seus benefícios vão muito além disso, trazendo também, um aumento na qualidade de vida dos seus usuários.

Diferenciais das rochas naturais na sustentabilidade

Antes de entender o porquê das rochas naturais serem uma ótima aliada da arquitetura sustentável, é necessário saber um pouco mais sobre as rochas ornamentais.

O uso de rochas na arquitetura, não é uma coisa nova. Quando voltamos à história antiga, percebemos que a exploração de rochas para fins ornamentais, já era presente nas civilizações sumérias, egípcias e mesopotâmicas, utilizadas tanto na construção de pirâmides, monumentos e obras de artes. Atualmente, as rochas naturais passaram a ser sinônimos de beleza e sofisticação.

Na arquitetura sustentável, essas rochas têm um papel fundamental na otimização do uso de recursos naturais. O setor das rochas ornamentais é fiscalizado pelos órgãos nacionais de controle da mineração e ambiental, que são excessivamente rígidos. Ou seja, quando as rochas vêm de fontes confiáveis, as empresas possuem programas de compromisso sustentável, realizando recuperação de áreas degradadas e ações de sustentabilidade. 

A Magban, por exemplo, tem uma parceria de recuperação de árvores nativas em risco de extinção com o Instituto Inhotim, reconhecido como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), localizado em Brumadinho (MG). No instituto, existem cerca de 700 obras de mais de 60 artistas e de quase 40 países, exibidas ao ar livre e em galerias em meio a um Jardim Botânico com mais de 4,3 mil espécies botânicas raras, vindas de todos os continentes. Nessa parceria entre o Inhotim e a Magban, será criado um espaço especial no instituto, para que o bioma nativo em risco de extinção seja preservado.

Fora isso, as vantagens diretas do uso das rochas naturais nos projetos arquitetônicos, são diversas. Confira!

Alta durabilidade

Podemos viajar no tempo e falar de Machu Picchu (construída em meados de 1420), ou ir para tempos ainda mais distantes para mencionar construções (como túmulos, observatórios astronômicos) de aldeias neolíticas da Europa Ocidental que se mantém conservadas até hoje, mesmo tendo sido construídas em 4200 a/c.

Também é possível mencionar os complexos na península de Guizé, construções Gregas, construções do império romano... Mas a grande verdade é que não precisamos ir tão longe para falar sobre a durabilidade de rochas naturais, já que pode-se encontrá-las em catedrais, calçadas e paredes compostas pelo material, muitas delas já estão lá há centenas de anos.

Isso só comprova o quanto investir em rochas naturais garante um resultado econômico a longo prazo, uma vez que, se a aplicação e acabamento for feita da forma correta, o material tende a ser durável e resistente, requerendo uma baixa quantidade de trocas e manutenções ao longo dos anos.

Reutilização

A vida útil de uma rocha natural não precisa acabar ao ser removida de um ambiente para reforma, por exemplo. É possível reciclá-la e fazer a inserção em outro ambiente ou, até mesmo, em outra construção.

Em um projeto arquitetônico bem feito, muitas vezes não é possível perceber qual é a rocha nova e qual é a reciclada, criando um ar de requinte, sofisticação e exclusividade ao ambiente.

Além de ser um ponto que melhora os custos de uma construção, também é preciso reforçar que o meio-ambiente agradece a reutilização das rochas no seu projeto de arquitetura sustentável, tornando-o sustentável.

Conforto térmico

Uma das maiores vantagens ao se utilizar rochas naturais é que elas podem ser utilizadas tanto em ambientes internos quanto externos.

Enquanto nos ambientes internos elas ajudam a deixar o ambiente mais fresco mesmo em dias muito quentes, também são uma excelente opção para áreas externas já que não retém muito calor e umidade, além disso, rochas com acabamentos escovados ou levigado também podem ser antiaderentes.

Valor estético

Moldadas pela natureza, esse material é totalmente exclusivo: cada rocha tem um padrão único e diferenciado, garantindo ambientes belíssimos para cada um de seus projetos.

Além disso, a enorme variedade de rochas naturais disponíveis, traz uma grande vantagem para os arquitetos, visto que existem pedras de diferentes estilos, cores e veios que podem ser usados para qualquer tipo de projeto arquitetônico, de acordo com as características e recomendações de uso de cada rocha.

Lembrando que os tons e padrões únicos, proporcionam não apenas mais qualidade e beleza aos ambientes, mas também valorização do projeto de uma forma geral.

Praticidade na manutenção diária

A maioria das rochas passam por um processo de impermeabilização ainda na indústria beneficiadora.

Nesse processo ocorre a aplicação de produtos específicos, que visam proteger e preencher os poros naturais da rocha, garantindo que não haja a penetração líquidos na peça na utilização diária.

Então, caso o material possua um acabamento correto e tenha suas aplicações em locais certos, as rochas naturais entregam uma alta durabilidade e praticidade, com baixo custo de manutenção e, tendo a limpeza facilitada no dia a dia, com a utilização apenas de esponjas de cerdas macias, água e sabão neutro.

Depois das inúmeras vantagens que listamos aqui, fica claro que o uso de rochas naturais, principalmente para projetos arquitetônicos que visam a arquitetura sustentável, trazem não apenas a preservação do meio ambiente, mas também garante mais eficiência e sofisticação para aos projetos, por isso, vale a pena investir nessa tendência!

Gostou deste artigo e quer saber mais sobre arquitetura sustentável e rochas naturais? Acompanhe a Magban nas redes sociais, estamos no Facebook, LinkedIn e Instagram.

Magban